Para ministros do Tribunal Superior, cobrança de metas pelo chefe fora de hora traz ansiedade

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou uma empresa de telefonia a pagar indenização a um funcionário por cobrar metas através do whatsapp, fora do horário de trabalho. Para a Turma, a conduta afeta o equilíbrio psicológico do empregado e extrapola os limites aceitáveis no exercício do poder diretivo do empregador.

No processo, o vendedor alegou que sofria assédio moral, com pressões por resultados em excesso, além de ameaças de demissão, caso ele não atingisse as metas. Segundo testemunhas, os números de cada vendedor eram expostos tanto nas mensagens pelo aplicativo quanto no mural da empresa. Se alguém não respondesse às mensagens enviadas fora do horário de trabalho, o gerente questionava o motivo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *